[Crítica] Chronicles – Endless Feelings (EP)

by

Chronicles – Endless Feelings (EP)
Data de Lançamento: 2008
Género: Rock/Metal progressivo
Editora: –

Este EP é composto por 4 faixas:
1. Cruder Sign (6:06)
2. Every My Day (4:52)
3. Non Believer (5:38 )
4. Sick Moments (4:17)

Chronicles é uma banda nortenha do panorama Rock/metal com toque progressivo como gostam de ser catalogados formados em meados de Maio de 2006. A banda é natural de Vila do Conde, Portugal e é composta actualmente por Tito Pires no vocal, Herlander Martins e Pedro Almeida na guitarra, André Sousa baixo e ainda Ricardo Galhardo na bateria tendo ja um ex-membro Álvaro Craveiro na guitarra que decidiu enveredar por outros projectos. As suas principais influencias vão de Dream Theater a Nevermore, passando por Evergrey, Ancient ou Nightwish.

Após alguns concertos em bares decidiram-se lançar no estúdio prontos a preparar o seu primeiro EP. Assim nasce em Janeiro o “Endless Feelings”, EP de estreia e disponibilizado gratuitamente pela própria banda no site Portugal Underground (LINK).

A banda esteve há bem pouco tempo a divulgá-lo no Porto Canal no programa “Aquário” sendo daí que tomei conhecimento com esta excelente banda, que ainda tem um toque ligeiro de thrash clássico melódico. A primeira faixa Cruder Sign é um começo pesado sempre a abrir a fazer lembrar os americanos Testament. Destaque para a bateria. A segunda faixa, Every My Day vai buscar um lado mais clássico com o tal som thrash e a voz de Tito Pires a dar uma melodia fantástica, ainda que o som da bateria esteja menos intenso e pagado aqui. Passando para a Non Believer, esta é algo com um conceito mais negro no estilo da própria capa, faixa com influencia claramente no death metálico. Claramente estamos presente a um EP onde a experimentação de sonoridades dentro do metal está bem patente, mostrando do que a banda é capaz, e o que faz fá-lo bem. Chegamos então a Sick Moments, última faixa. É também aquela que consegue criar uma atmosfera mais intensa, com um pujante solo quase no fim e vocais mais agressivos. Baixo de Andre Sousa aqui em grande destaque na faixa mais curta do EP com pouco mais de 4 minutos.

Se resumirmos este EP podemos dizer que é uma estreia promissora, assim que alguma editora decida pegar neles e levá-los até ao primeiro álbum comercial. Espero que trabalhos sólidos e coerentes como este tenham ajudas porque não só da força de vontade de um grupo se consegue chegar ao patamar comercial. Uma banda a explorar com atenção e da minha parte sendo eu independentemente um nortenho, agrada-me ter uma banda assim cá que possa acompanhar mal tenha uma oportunidade.

notas8

Etiquetas: , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: