[Crítica] Metallica – And Justice For All

by

Metallica – And Justice For All
Data de lançamento: Setembro 1988
Género: Trash Metal
Editora: Elektra

1. “Blackened”
2. “…And Justice for All”
3. “Eye of the Beholder”
4. “One”
5. “The Shortest Straw”
6. “Harvester of Sorrow”
7. “The Frayed Ends of Sanity”
8. “To Live Is to Die”
9. “Dyers Eve”

As opiniões sobre ‘And Justice For All’ dos Metallica são bastante variadas dentro dos ‘metaleiros’. Com este álbum, os Metallica aproximaram-se do som mais comercial e que deu grande sucesso á banda norte americana mas ao mesmo tempo manteve o som clássico que a banda praticava na década de 80.

Todas as músicas do álbum são clássicos dos Metallica, e excelentes em composição. O álbum começa com ‘Blackened’ que contém riff’s estonteantes e é uma excelente música para se tocar ao vivo. A faixa seguinte, ‘And Justice For All’, descreve como a justiça se tornou corrupta com a sociedade. Esta música, que é das minhas preferidas, com 9 minutos e 45 segundos de duração, possui excelentes ‘main’ riff’s, um grandioso trabalho de bateria e um grande trabalho de guitarras, com um virtuoso solo de guitarra de Kirk Hammet. ‘Eye Of The Beholder’ é a faixa que se segue e segue a mesma excelência do álbum com uma sonoridade pesada. ‘One’ é a faixa seguinte e é um verdadeiro clássico do Metal. Nesta música, os Metallica tocam com a paixão e a ferocidade que os tornaram nos deuses de Metal que são hoje. A música começa calma com uma excelente melodia e torna-se numa poderosa faixa de Thrash metal, onde podemos ouvir um dos melhores solos que Kirk Hammet produziu. ‘Shortest Straw’ é um clássico dos Metallica e uma faixa bem Groove, com riff’s bem poderosos. ‘Harvester Of Sorrow’ é outro clássico da banda, com uma sonoridade também mais Groove, onde se nota mais uma vez o excelente trabalho de bateria de Lars Ulrich onde James Hetfield se esmera também nos vocais. ‘The Frayed Ends of Sanity’ é uma faixa com um refrão bem viciante e onde mais uma vez Lars e James prestam um fabulosos desempenho. ‘To Live is to Die’ é uma faixa instrumental e é a única faixa do álbum onde ainda houve contribuição do falecido baixista Cliff Burton. É também nesta música onde se pode ouvir uma coisa rara. Um solo de James Hetfield. A faixa é muito boa, mas penso que poderia ser colocada no final do álbum. Enfim, seguindo para a última faixa ‘Dyers Eve’, a minha terceira preferida da banda e a música mais underrated dos Metallica na minha opinião. Grandes, excelentes e poderosos riff’s, um grande trabalho (mais uma vez) de Lars na bateria e uns excelente trabalho vocal de James Hetfield. Comparada a esta faixa para mim só a melhor dos Metallica, ‘Damage Inc.’ de Master Of Puppets.

É este um álbum que pode facilmente ser comparado a Master Of Puppets ou ao excelente Ride The Lighting? Não os supera mas é igualmente um álbum muito bom e facilmente apelidado de clássico. Foi também com este álbum que os Metallica deixaram de fazer, na minha modesta opinião, o ‘bom’ Metal que tanto nos habituou desde 1983 com clássico atrás de clássico. Esperemos que em 2008 nos tragam uma grande surpresa como o seu novo álbum.

Melhores músicas: Todas mas ‘Dyers Eve’ é mesmo do outro mundo.

Nota: 10/10

Etiquetas: , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: