[Crítica] Machine Head – The Blackening

by

Machine Head – The Blackening
Data de lançamento: Março 2007
Género: Thrash Metal
Editora: Roadrunner Records

Tracklist:

1. Clenching the Fists of Dissent (10:35)
2. Beautiful Mourning (04:49)
3. Aesthetics of Hate (06:34)
4. Now I Lay Thee Down (05:34)
5. Slanderous (05:17)
6. Halo (09:03)
7. Wolves (09:04)
8. A Farewell to Arms (10:12)

Lineup:

Robb Flynn – Vocais, Guitarra
Phil Demmel – Guitarra
Adam Duce – Baixo
Dave McClain – Bateria

Consideradas uma das maiores bandas do género na actualidade, os Machine Head estiveram perto de encerrar as suas actividades musicais devido ao falhanço total dos álbuns “The Burning Red” e “Superchager”, álbuns sem alma e sem vontade, de um grupo que lançou um verdadeiro clássico do Thrash, o fabuloso “Burn My Eyes” em 1994. Porém, com o lançamento em 2003 de “Through the Ashes Of Empires”, a banda voltou á sua forma, se bem que quase todos duvidavam que a banda conseguiria mais alguma vez fazer um trabalho que entrasse para a historia do Metal. Pois bem, esse momento foi em Março de 2007, com o lançamento de “The Blackening” o álbum que já nasceu clássico.

“The Blackening”, é na minha opinião, o melhor disco lançado desde o ano 2000 dentro da cena metálica. E se olharmos para trás, temos excelentes trabalhos de bandas de grande renome como Iron Maiden ou Megadeth. Acredito que vamos passar esta década e em termos de qualidade, “The Blackening” vai ser o melhor álbum desta época. Comparo-o mesmo a um “Master Of Pupptes” dos Metallica ou “Cowboys From Hell” dos Pantera. O álbum tem uma qualidade tão grande que o podemos mesmo pôr ao lado destes grandes álbuns do género.

Optando por inicios mais calmos em algumas canções, tal como “Clenching the Fists of Dissent”, “Aesthetics of Hate”, “Now I Lay Thee Down”, “Halo” ou a fenomenal “A Farewell to Arms”, a banda dispara depois para um composição tecnica soberba em termos de riff’s entonteantes e ritmos de bateria alucinantes. Tecnica, acima de tudo nota-se uma tecnica muito bem empregue em todas as musicas. Tempos certos, ritmos lentos, ritmos rápidos. Nota-se que foi um trabalho muito bem organizado para lançar este clássico.

Outro grnade destque vai para as letras das canções. Robb Flynn expressa-se de uma maneira simplesmente estrondoda e fenomenal! O home, está a cantar como nunca, com uns vocais rasgados fortes e intensos que nos tocam. Aliado á excelente composição técnica como já referi, temos de facto grandes composições, onde se destacam “Now I Lay Thee Down”, “Halo” e “A Farewell to Arms”.

Escolher a melhor música é dificil, mas a minha eleição vai para “A Farewell To Arms”. Épica, esta música foi sem dúvida a melhor canção de 2007. Simplesmente fenomenal onde mais uma vez destaco o grande trabalho de Robb Flynn e o excelente final de música, digna de ser considerada das melhores de sempre.

O que mais dizer? É um clássico na minha opinião, e agora sim, a fasquia está mais elevada para esta banda, mas eu acredito, que se a banda tiver a liberdade para fazer outro grande trabalho, teremos mais excelentes álbuns da banda que cada vez mais se assume como uma das melhores do género.

notas10

Machine Head – Aesthetics of Hate

Machine Head – Halo

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: