[Crítica] Iron Maiden – The Number of the Beast

by

Iron Maiden – The Number of the Beast
Data de lançamento: Março 1982
Género: Heavy Metal (NWOBHM)
Editora: EMI

Tracklist:

1. “Invaders” (3:24)
2. “Children of the Damned” (4:35)
3. “The Prisoner” (6:03)
4. “22 Acacia Avenue” (6:36)
5. “The Number of the Beast” (4:50)
6. “Run to the Hills” (3:54)
7. “Gangland” (3:49)
8. “Hallowed Be Thy Name” (7:11)

Lineup:

Bruce Dickinson – Vocais
Dave Murray – Guitarra
Adrian Smith – Guitarra
Steve Harris – Baixo
Clive Burr – Bateria

Depois de terem lançado dois clássicos, os Iron Maiden lançam em 1982 o álbum “The Number of the Beast” que conta com a participação do novo vocalista Bruce Dickinson, que actuava nos Samson. Após a saída de Di’Anno, devido ao seu comportamento algo “destrutivo”, a banda procurou um novo vocalista, e encontrou em Dickinson (um dos melhores vocalistas de sempre) a pessoa indicada para o lugar.

“The Number of the Beast” é aclamado pela crítica como o melhor e mais influente álbum lançado pelos Iron Maiden. Este é daqueles trabalhos em que é dificil dizer qual a pior música do álbum. Se é que existem músicas más nesta obra, porque temos 3 faixas que pelo menos entram para as melhores músicas de Metal alguma vez feitas.

Desde a produção do álbum, que está superior em qualidade relativamente aos anteriores trabalhos da banda, quer em composições musicais que estão mais trabalhadas, onde, já se notava o caminho que a banda queria tomar para a composição das suas músicas.

A integração de Bruce Dickinson foi impressionante, tornando-se rapidamente num ícone da banda. A sua voz, considerada hoje como uma das três melhores do Metal, deu à banda, o “toque” Heavy Metal que Steve Harris tanto desejava. E vemos isso logo na primeira música. Rápida, Burr detona na bateria e o baixo de Harris está do outro mundo. Mas ao ouvirmos a voz de Bruce, ficamos completamente “hipnotizados” com a “harmonia” criada. Assistimos também a solos rápidos, por parte de Adrian Smith e Dave Murray, que estão muito bem elaborados.

“Children of the Damned”…😀 Fenomenal. Começa num género de balada, com a voz espectacular de Dickinson, para depois entrar numa fase rápida onde mais uma vez as guitarras dão conta do recado com riff’s extremamente bem concebidos. Mas Dickinson faz um trabalho vocal… do outro mundo! E ouçam com atenção o baixo de Harris, e sintam o poder do melhor baixista de sempre.

Seguem-se “The Prisoner” e “22 Acacia Avenue” que são com toda a certeza ADMIRÁVEIS! Músicas rápidas, a mostrarem “uns” Maiden mais pesados, mas sem perderem a sua linda melodia, principalmente nos vocais, onde Dickinson (mais uma vez) nos faz ficar com um sorriso na cara de tamanha satisfação. Destaque ainda para o brutal trabalho de Burr no solo de “The Prisoner”. Está extraordinário!

“The Number of the Beast” e “Run to the Hills” são as faixas que se seguem e são dois eternos clássicos absolutos. “The Number of the Beast” é toda uma faixa que SÓ poderia ser feita por esta banda. “Run to the Hills” é outra obra de arte, que está tão bem conseguida que os fãs não se cansam dela. São duas músicas com refrões muito viciantes e com uma composição técnica, genial.

“Gangland” é a música do álbum que nos faz lembrar mais os dois anteriores trabalhos da banda. Mas vou ter que referir outra vez a voz de Bruce, que se mostra bastante versátil, como podemos ver nesta música que exige mais do vocalista. Já as duas guitarras, de Smith e Murray, estão demolidoras!

A acabar, está a épica “Halowed Be Thy Name”. Vou ser muito rápido e directo. “Hallowed Be Thy Name” é a melhor faixa de Metal que eu alguma vez ouvi na vida. Épica, liricamente muito forte, o trabalho efectuado pela banda nesta música é assombroso, espectacular, inconcebível! Os ritmos mais rápidos, mais lentos, e a voz! Estamos perante um DEUS! Sim, Bruce Dickison atinge esse estatuto com o seu primeiro álbum de Iron Maiden. “Hallowed Be Thy Name” é, possivelmente, a melhor faixa de Metal alguma vez criada.

Que dizer de “The Number of the Beast”? Bom, se nunca ouviram este trabalho da banda, então NÃO PODEM ser considerados fãs de Metal. Uma obra prima criada pela melhor banda de Metal do planeta. Clássico absoluto do género.

notas10

Iron Maiden – Children of the Damned

Iron Maiden – Hallowed Be Thy Name

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: