[Crítica] Metallica – St. Anger

by

Metallica – St. Anger
Data de lançamento: Junho 2003
Género: Heavy Metal
Editora: Elektra Records

Tracklist:

1. “Frantic”
2. “St. Anger”
3. “Some Kind of Monster”
4. “Dirty Window”
5. “Invisible Kid”
6. “My World”
7. “Shoot Me Again”
8. “Sweet Amber”
9. “The Unnamed Feeling”
10. “Purify”
11. “All Within My Hands”

Lineup:

James Hetfield – Vocais, Guitarra
Kirk Hammett – Guitarra
Lars Ulrich – Bateria
Bob Rock – Baixo

Ok. Sim tudo bem, todos sabíamos que os Metallica tinham mudado (e muito!) a sua sonoridade a partir do “The Black Album”, apresentando uma sonoridade mais próxima do Heavy Metal/Hard Rock pesado. O que eu não esperava ver era um álbum tão mau no cartório da maior banda de Metal do mundo. Sim, St. Anger é medíocre. Apesar de ter mais de 15 millhões de unidades vendidas, o facto de este álbum ter vendido (e vender!) não é sinónimo de qualidade.

Onde andam os solos de guitarra de Kirk Hammett? Que letras de músicas são estas? A bateria de Lars Ulrich está estragada? Não houve dinheiro para uma produção de qualidade? O baixo está entregue à responsabilidade de quem?
Pois é, acalmando um pouco, a verdade é que quando ouço este álbum da minha 3º banda preferida (e estou a ouvi-lo agora!), a vontade que tenho é de desligar o leitor de CD’s.

A banda passava por algumas dificuldades, e até se entende que este podia ser um trabalho menos bom por parte da grupo norte americano. Mas a verdade é que todos os problemas que a banda estava a viver no tempo da produção de “St. Anger” se reflectiram no trabalho final. Como referi, liricamente o álbum está fraco. A nível de composição de riff’s de guitarra não vemos nada original e é tudo muito genérico, chegando os Metallica a soar como uma banda de New Metal (o que é mau).

Vou então referir as faixas que mais se destacam no meio deste “monstro”. “Some Kind Of A Monster” tem alguma envolvência, se bem que aqueles vocais de Hetfield e a letra da canção estraguem o resto. “Invisible Kid” é das poucas faixas que escapam, se bem que Lars Ulrich parece que está bater em panelas. Mas bastava seguir o ritmo desta faixa e não tínhamos um trabalho de má qualidade. O mesmo para “My World” que começa muito bem, mas quando Hetfield pega no microfone e começa a despejar a letra da canção… é para esquecer. Adoro o começo de “Sweet Amber” mas depois torna-se uma faixa muito genérica. Destaque só para os começos das duas últimas faixas que apresentam o Heavy Metal americano em todo o seu esplendor. Peso, peso e mais peso. E é só. Não há muito mais a dizer, senão que era melhor a banda não ter lançado um álbum de tão fraca qualidade.

Não recomendado a fãs da maior banda de Metal do mundo, nem aos fãs de Metal em geral.

Nota: 2.0/10

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: